TABU?!
Vamos falar sobre pornografia e apresentar Erika Lust
O assunto ainda causa certo frisson, mas é preciso ter uma visão mais humana e menos sexual. Afinal, estamos falando de educação.

Para se ter uma ideia da representatividade do assunto pornografia, vamos aos números. Estima-se que um terço do tráfego da internet seja em conteúdo pornográfico. Segundo matéria publicada no site Tecmundo, a cada 39 minutos um vídeo pornográfico é gravado nos Estados Unidos, a cada segundo mais de 28 mil pessoas assistem à pornografia e há mais de 4 milhões de sites pornográficos no ar — 12% de toda a web.

Os sites Pornhub e Redtube, que oferecem conteúdo pornô grátis com tráfego de 40 milhões de usuários únicos por mês, divulgaram informações sobre o consumo de conteúdo pornográfico recentemente. O Brasil e as Filipinas aparecem em primeiro lugar em consumo de conteúdo erótico pelo público feminino.  Nos dois países, 35% do consumo de pornografia é realizado por mulheres e 65% pelos homens. A Argentina ficou em quarto lugar, com 30% e o México em oitavo, com 28%. Esses países superaram a média mundial para mulheres, de 24%.

A pesquisa ainda aponta que a categoria mais acessada é “lésbicas”. Erika Lust Films, empresa concorrente, contesta afirmando que sem login obrigatório para a exibição de conteúdo (como é no caso dois dois sites que realizaram a pesquisa) não há como traçar um perfil de consumo de conteúdo.

Sendo verdadeiro ou não o resultado da pesquisa, você tem que conhecer a Lust Films. A fundadora Erika Lust chamou atenção ao lançar o gênero erótico indie, o sexo retratado de forma mais bonita, inteligente e cheio de alegria. The Good Girl, trabalho dela de fim de curso em Direção de Cinema em Barcelona, foi disponibilizado gratuitamente na internet e teve milhões de downloads em poucos dias. Foi aí que tudo começou. Hoje, Erika fala sobre representações sexuais na indústria pornô e educação sexual nas escolas, tendo a Suécia como o primeiro país a incluir este tema na grade escolar:

A empresa Erika Lust Films foca em trabalhos feitos por mulheres, do roteiro à direção, apresentando uma perspectiva feminina do sexo. A maioria das produções é pornô heterossexual. O site contabiliza cerca de 10 mil visitas por dia. O objetivo da empresa é atender a mulheres e casais que buscam entretenimento adulto.

O Mais Mulher entende o universo feminino e traz informação sobre alimentação saudável, atividade física, yoga, amor, sexo, moda, comportamento e beleza em um só lugar.